sábado, 2 de fevereiro de 2013

Pentamerone

Todos nós conhecemos várias versões diferentes das mesmas histórias. Quando se trata de contos de fadas, parece que há mais versões ainda. Os contos de fadas são histórias populares que circulam pelo mundo há centenas de anos, e é claro que, com o passar do tempo e as mudanças no mundo e na sociedade, essas histórias sofrem mudanças.
Em sua origem, os contos de fadas não eram apenas essas histórias bonitinhas com finais sempre felizes. Havia mortes, sangue, maldades e muitas outras coisas que nunca seriam admitidas em um desenho da Disney. Isso porque a sociedade era diferente, a ideia do que era ser criança era outra e essas histórias não eram tidas como coisas de crianças, mas histórias para todos (você encontra mais sobre esse tema nesse post aqui)
Quando se pensa na origem dos contos de fadas, muita gente lembra logo dos irmãos Grimm, ou de Andersen, que recolheram várias histórias e as publicaram no século XVIII ou XIX. Mas existem versões publicadas bem antes desses escritores nascerem.
Em 1634, foi publicado na Itália um livro chamado Pentamerone (ou o conto dos contos). Esse livro foi escrito por Giambattista Basile, mas ele também apenas reuniu contos já existentes na cultura popular. Esse livro reúne 50 contos de fadas; entre eles, podemos encontrar algumas histórias que são famosas hoje em dia (como Cinderela, mas de uma forma totalmente diferente das atuais) e outras que muita gente nunca ouviu falar.


Em breve, estarão aqui alguns desses contos. Eles não são muito indicados para as criancinhas de hoje em dia, mas são histórias muito diferentes e interessantes, e vale a pena conhecê-los.

Quem se interessar em ver os livros originais, pode encontrá-los nesse site: http://archive.org/search.php?query=pentamerone%20AND%20collection%3Atoronto

5 comentários:

Kheylle disse...

Muito boa sua matéria, pouca gente sabe da origem desses contos que conhecemos atualmente. Obrigada por disponibilizar o endereço do livro, estava precisando muito.

Gustavo Sanoli disse...

Ótima postagem!

José Edson disse...

A Gata vai deixar de ser borralheira quando os textos forem taduzidos.
Enquanto isso, otimo a matéria; imagina quando tiver Versão Brasilera...

José Edson disse...

A Gata vai deixar de ser borralheira quando os textos forem taduzidos.
Enquanto isso, otimo a matéria; imagina quando tiver Versão Brasilera...

Rodolfo Venicius Rodrigues Gomes disse...

Não consigo acessar o link indicado, gostaria muito de poder ler toda a obra, é possível encontrá-la em português?